Em 2002, os irmãos Alberto e Luiz Carlos deixaram Polotina, no Oeste do Paraná, para plantar soja nos pastos do Mato Grosso do Sul. Nessa mesma época a Agro100 criava a sua ¬ filial em Eldorado, com o objetivo de incentivar a agricultura nesta nova fronteira agrícola. Desde o início, os irmãos Biezus e a Agro100 têm caminhado juntos nesta saga de produzir soja no Mato Grosso do Sul. A empresa tem buscado novas tecnologias, plantas melhoradas geneticamente, fertilizantes e agroquímicos para tornar as lavouras mais produtivas. Assim, produtores como os irmãos Alberto e Luiz Carlos têm transformado as áreas de pastagens, muitas vezes de baixa produtividade, em áreas de alta produtividade de alimentos, vencendo barreiras impostas pelo clima, características de solo e pragas. Os Biezus plantavam 60 alqueires de soja em Palotina, região de fronteira agrícola esgotada e terras muito valorizadas. Alberto e Luiz Carlos enxergaram a solução para o crescimento na atividade a pouco mais de 100 quilômetros de casa, no Mato Grosso do Sul, onde as terras eram mais em conta, já que a atividade econômica predominante era a pecuária extensiva. Assim, convenceram o pai, Ampelio Biezus, a investir na nova fronteira, onde a soja iniciava a sua expansão. Começaram plantando 190 alqueires, o triplo do que plantavam em Palotina. E não pararam mais de expandir a área de plantio no MS. Na atual safra de soja plantaram 900 alqueires. “No primeiro ano que plantamos trouxemos adubo e sementes do Paraná. Já no segundo ano, em 2003, compramos tudo da Agro100 que, além dos insumos, nos ofereceu todo o suporte e acompanhamento técnico de que precisávamos para as lavouras através de sua ¬filial em Eldorado.  De lá pra cá temos caminhado juntos. Somos 100% Agro100”, brinca Alberto Biezus,  acrescentando que com a construção da unidade de recebimento e armazenamento de grãos da Nutri100, em Eldorado, a entrega e comercialização da safra melhoraram muito para os produtores da região. O produtor conta que nos primeiros anos todo o trabalho nas lavouras era feito por ele, o irmão e um empregado. Hoje o trabalho é mais tranquilo, mas para se produzir ¬ ficou mais difícil. “O clima tem mudado muito”, diz ele. A região é sujeita a veranicos que ocorrem geralmente na segunda quinzena de dezembro e a primeira quinzena de janeiro. Para fugir destas intempéries do clima Alberto diz que o negócio é plantar a soja mais cedo, a partir do dia 20 de setembro. Nos 900 alqueires plantados com soja no verão, no inverno eles cultivam entre 65% e 70% desta área com milho, lavouras que devem ser plantadas o mais cedo possível, a partir de fevereiro e com variedades mais precoces para não correr o risco de atrasar o plantio da soja. Para os irmãos Biezus valeu a pena o trabalho e a persistência no Mato Grosso do Sul. Suas famílias continuam morando em Palotina. Mas Alberto garante que assim que os ¬filhos forem para a faculdade ele vai se mudar com a esposa para Eldorado. “Aqui tudo tem melhorado muito.”